Advogado pede ao procurador-geral da República investigação contra o deputado Hugo Motta, presidente da CPI da Petrobrás.

O advogado Antonio Figueiredo Basto, que assumiu a defesa do executivo e delator Julio Camargo no lugar de Beatriz Catta Preta – e também defende o doleiro Alberto Youssef na Lava Jato –, apresentará nesta semana uma representação ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedindo que os deputados Celso Pansera (PMDB-RJ) e Hugo Mota (PMDB-PB), entre outros membros da CPI da Petrobras, sejam investigados por causa dos requerimentos que apresentaram na comissão.

A informação é de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo desta segunda-feira (3).

Diz a colunista que o mote do pedido serão as declarações de Catta Preta, segundo as quais ela e seus clientes sofreram intimidação —a advogada não deu nomes. “Essa investigação [da CPI], pra mim, não tem crédito nenhum”, diz Figueiredo Basto. “É um gasto de dinheiro público com intenções claras”, completa.


Folha

Comentários
0 Comentários