Dólar sobe após BC indicar mesmo ritmo de rolagem de swaps.

O dólar sobe frente ao real nesta segunda-feira (3), após o Banco Central sinalizar após o fechamento da sessão passada que deve manter o ritmo de rolagem de swaps cambiais para o lote que vence em setembro, mesmo diante da recente escalada da moeda norte-americana.


Às 9h49, o dólar avançava 0,88%, a R$ 3,4551 na venda. Na máxima da sessão, a divisa atingiu R$ 3,4612, maior patamar intradia desde 20 de março de 2003, quando foi a R$ 3,4920. O BC fará nesta sessão o primeiro leilão de rolagem dos swaps, equivalentes a venda futura de dólares, que vencem em setembro, com oferta de até 6 mil contratos. Se mantiver esse ritmo e realizar leilões até o penúltimo pregão do mês, como tem feito, a autoridade monetária rolará cerca de 60 por cento do lote total, que equivale a 10,027 bilhões de dólares.
Última sessão
O dólar fechou em alta na sexta-feira (31), pressionado por preocupações com a situação fiscal e as turbulências políticas no Brasil e pelas incertezas sobre a intervenção do Banco Central no câmbio. O mercado repercute ainda o déficit primário de R$ 9,32 bilhões no setor público, pior da história para junho.
A moeda norte-americana voltou a atingir o maior valor desde 2003 e subiu 1,59%, a R$ 3,4247 na venda.
Foi a maior cotação de fechamento desde 20 de março de 2003, quando encerrou a R$ 3,478.
Também em março de 2003 havia sido a última vez que o dólar tinha ido acima do patamar de R$ 3,40, segundo informações da Reuters.
Na semana passada, o dólar subiu 2,32%, e no mês de julho, 10,16%. Foi a maior alta mensal desde março, mês em que a moeda subiu 11,46% - de acordo com dados da Economatica considerando a Ptax - taxa calculada diariamente pelo BC que aponta a média do preço do dólar em real. No ano, o dólar já acumula alta de 28,81%

Comentários
0 Comentários