Aulas retornam segunda-feira em CG após decretação de ilegalidade da greve.

Término da greve (Foto: Divulgação)
Os professores e servidores de apoio da Secretaria de Educação do Município de Campina Grande que estavam em greve terão que retornar ao trabalho na próxima segunda-feira. Após a decisão do desembargador José Aurélio da Cruz, do Tribunal de Justiça da Paraíba (TJPB), que considerou ilegal a greve dos servidores da Educação, o Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab) foi notificado pela Justiça sobre a obrigatoriedade do retorno ao trabalho, sob pena de multa de R$ 3.000 por dia de descumprimento.
 
Com isso, as atividades nas creches e escolas da rede deverão ser integralmente normalizadas na próxima segunda-feira. De acordo com a Prefeitura de Campina Grande, ao todo, apenas 12 das 155 unidades de ensino foram atingidas pela greve, sendo oito escolas e quatro creches.
 
Segundo levantamento da Secretaria de Educação do Município (Seduc), boa parte dos professores e servidores de apoio já retornou ao trabalho essa semana, depois de tomar conhecimento da decisão judicial. Os demais aguardaram a assembleia do Sindicato, realizada nesta sexta-feira (01), que deliberou pelo fim da greve e orientou o retorno às atividades na segunda-feira. 
 
Decisão - Divulgada na última segunda-feira, 28 de março, a decisão do desembargador José Aurélio da Cruz determina o retorno imediato dos servidores ao trabalho, após a notificação do Sintab.  
 
Na liminar, o desembargador também destacou os prejuízos causados pela interrupção das aulas. “A interrupção do ensino fundamental repercute diretamente no cumprimento do calendário escolar e coloca em risco a normalidade do ensino público e do aprendizado dos alunos, que são crianças e adolescentes destinatários de absoluta prioridade e proteção integral”, pontuou.

Comentários
0 Comentários