McLaren coloca à venda um F1 em estado zero quilômetro.

O McLaren F1 tem seu posto garantido entre os grandes carros fabricados até hoje, ditando as características que viriam a ser implementadas nos superesportivos dos anos seguintes. Feito entre 1993 e 1998, ele teve apenas 106 unidades produzidas, tornando-se ao longo do tempo um dos mais raros (e caros!) modelos disputados entre os colecionadores. A boa notícia para os milionários é que a própria McLaren colocou à venda um dos F1 mais zerados do planeta, com apenas 2.800 milhas (4.506 quilômetros) no hodômetro.
De acordo com a McLaren, o F1 de chassis número 69 está novo em folha. Mantido pela McLaren Special Operations (MSO), que faz a manutenção de todos os F1 existentes no mundo, a unidade à venda foi produzida em 1998. O visual do superesportivo traz um toque sinistro por conta da carroceria com pintura em preto carbono, além das rodas de magnésio de 17 polegadas pintadas na mesma tonalidade escura.

A cabine, caracterizada pela extensa aplicação de fibra de carbono e o clássico banco central, traz o assento do motorista revestido de couro vermelho e preto, enquanto os bancos duplos dos passageiros são de couro Alcântara – material também aplicado no painel e no volante. Reconhecido até hoje pelas suas curiosas soluções, o F1 foi o primeiro carro de rua a contar com chassi totalmente de fibra de carbono. Já o compartimento do motor possuia um revestimento de ouro -  metal caríssimo, mas que dissipa melhor o calor.
A lenda é equipada com um propulsor V12 6.1 de origem BMW, com 635 cv de potência, que o faz alcançar a velocidade máxima de 390,7 km/h. O superesportivo detém até hoje o marco de ser o carro de produção naturalmente aspirado mais rápido já construído. Quem quiser levar este imaculado F1 ganhará ainda vários acessórios originais, incluindo bagagem, caixa com um kit de ferramentas da Facom, vários livros publicados sobre o modelo e até um relógio de edição limitada McLaren F1.
O preço não foi revelado, mas dificilmente escapará dos sete dígitos. Em 2014, um exemplar foi leiloado por nada menos que 10,5 milhões de dólares.

Comentários
0 Comentários