Secretário de Saúde dialoga com servidores, que anunciam fim de movimento grevista.


O secretário de Saúde de Patos, José Francisco de Sousa “Zeca” participou na manhã desta terça-feira, 19 de abril, de uma assembleia com os servidores públicos do município, conjuntamente com a direção do Sinfemp (Sindicato dos Funcionários Municipais de Patos e Região), para discutir a política de valorização construída pelo Governo Municipal com cada categoria. O encontro aconteceu na sede do Sinfemp.
Para o secretário de Saúde, o diálogo com os servidores foi construtivo. “Tivemos uma conversa construtiva com os servidores e sindicato, têm sido assim desde o início, quando a gestão apresentou a proposta para cada categoria e hoje foi mais um momento de avanço, uma vez que todos compreenderam da necessidade do retorno dos servidores aos seus locais de trabalho, isso independente da decisão jurídica, porque a gestão sempre defende o entendimento pelo dialogo e assim fizemos no dia de hoje, garantindo avançar em algumas questões”, disse Zeca.
“A gestão sempre buscou avançar em relação à política de valorização dos servidores e entendendo esse momento de dificuldade econômica, apresentamos outras condições, a exemplo da redução da carga horária de trabalho, respeitando a situação de cada categoria, uma vez não existe condição para reajuste. Então, não houve em nenhum momento a falta de proposta ou dialogo. Ficamos felizes pela decisão do retorno dos servidores aos locais de trabalho, uma vez que nesse momento a população precisa muito do apoio de todos, para enfrentar as dificuldades e superar esse momento de atenção a saúde”, ressaltou o secretário. 
O vice-presidente do Sinfemp, José Gonçalves, comentou a decisão pelo fim da greve e destacou os avanços alcançados pelo movimento. “A decisão da assembleia hoje foi encerrar a greve e retornar os trabalhos a partir desta quarta-feira, deixando claro, os avanços que foram encaminhados, o principal deles, referente à redução da carga horária de trabalho, fixada em 30 horas. Outras questões, como condições trabalhistas também foram debatidas e vamos acompanhar essas melhoras, dentro do prazo de 30 dias. O reajuste salarial continua da mesma forma, porque não existe viabilidade”, concluiu.

Assessoria

Comentários
0 Comentários