STF analisa hoje ações que questionam votação do impeachment.

O ministro Marco Aurélio Mello, relator de um dos casos, 
pediu a reunião extra (Foto: Divulgação)
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu realizar uma sessão extraordinária às 17h30 desta quinta-feira (14) para julgar ao menos cinco ações que questionam a votação na Câmara, prevista para o próximo domingo (17), do impeachment da presidente Dilma Rousseff.
No início da sessão ordinária desta quinta, o ministro Marco Aurélio Mello, relator de um dos casos, pediu a reunião extra para que o plenário delibere sobre uma ação do PC do B, protocolada nesta quinta, para que a Câmara realize uma votação intercalada, entre deputados do Norte e do Sul do país; ou, alternativamente, em ordem alfabética.
Relatores de ações semelhantes, Edson Fachin e Luís Roberto Barroso, concordaram com a sugestão e combinaram de intimar as partes ainda nesta tarde para opinarem sobre os pedidos.
Umas das ações, sob relatoria de Fachin, foi apresentada no início da tarde pela Advocacia-Geral da União (AGU), pedindo uma liminar (decisão provisória) determinando que seja suspensa a votação.

Comentários
0 Comentários