Câmara vai realizar audiência pública para tratar sobre o Concurso Público de Itaporanga.


Será realizada nesta quarta-feira (25) uma audiência pública na Câmara Municipal para debater a problemática que se apresentou no concurso público realizado pela Prefeitura Municipal de Itaporanga, para o preenchimento de 140 vagas na administração local.
A empresa organizadora do certame, Contemax Consultoria, divulgou terça-feira passada mudança na relação dos aprovados, causando indignação e revolta entre os mesmos - além de suas famílias e da população como um todo.
O prefeito Audiberg Alves, que ainda não homologou o concurso, afirmou ao blog que fora pego de surpresa com essa nova relação e que só homologaria o certame com a relação correta. Com o "mundo vindo abaixo", a gestão municipal apressou-se a se explicar mas a confusão já estava feita. Quem foi aprovado e teve o nome excluído da primeira relação divulgada pela empresa não quer conversa e a contenda deve seguir pra justiça, o que será um pesadelo e prejuízo enorme para a administração municipal.
Pois bem, a audiência da próxima quarta-feira (25), cujo requerimento é de autoria do vereador Ricardo Pinto (na tribuna, na foto), aprovado pelos demais vereadores, terá a presença do Ministério Público, da comissão responsável pela realização do concurso, da empresa organizadora, do prefeito e dos candidatos aprovados e classificados. Pelo menos é o que se espera. Os convites estão sendo encaminhados. Se faz urgente uma solução para essa "barbeiragem" que cometerem. Ou, então, o caminho a ser tomado será a anulação do concurso. Podendo até não homologado pelo prefeito.
São frágeis os argumentos da empresa para a mudança da relação. "O que houve foi um forte indício de fraude que estava sendo cometido nesse concurso. Isso é inadmissível. Por isso, a necessidade urgente de se fazer essa audiência com todos eles presentes e se for o caso proceder com a anulação do concurso. Teve candidato que ficou em segundo, terceiro lugar, e depois nem na lista de aprovado estava mais. O que fizeram está deixando muita gente doente, desesperada, com depressão, etc. É um absurdo cometer uma coisa dessa...", disse o vereador Ricardo Pinto.

Fonte Rpscom1

Comentários
0 Comentários