Polícia Federal deflagra Operação Clone em Bayeux, Capim e João Pessoa.

A Operação Clone combate crimes
 previdenciários contra o Instituto 
Nacional de Seguridade Social (INSS) (Foto: Walla Santos)
A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira (02) a Operação Clone e está neste momento cumprindo dois mandados de prisão preventiva, seis mandados de condução coercitiva e oito mandados de busca e apreensão, além de bloqueio e de bens municípios de Bayeux, Capim e em seis locais em João Pessoa. Trata-se de uma Força-Tarefa Previdenciária, composta pela Polícia Federal, Previdência Social e Ministério Público Federal.
A operação combate crimes previdenciários contra o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), cujas investigações apontam para fraudes que superam o montante de R$ 13 milhões. Os mandados cumpridos hoje foram expedido pela 16ª Vara da Justiça Federal da Paraíba e um advogado e a esposa dele já foram presos na Capital. A ação envolve aproximadamente 50 policiais federais e 05 servidores do Assessoria de Pesquisa Estratégica da Previdência Social (APEGR).
No bairro de Miramar, no Edifício Porto Real, a PF foi cumprir dois mandados judiciais expedidos contra um casal. No entanto, o homem que deveria ser preso estava impossibilitado de ser conduzido, pois está se recuperando de um acidente.  A polícia está no local aguardando para saber como deverão proceder diante do imprevisto com o suspeito, que também é cadeirante. 
A Polícia Federal ainda está levantando a repercussão do desvio de recursos e deve divulgar mais detalhes da Operação Clone durante entrevista coletiva à imprensa nesta manhã, às 11h, na Superintendência Regional da PF na Paraíba, em Cabedelo. 
Em Nota, Superintendência Regional adiantou informações sobre as investigações, tiveram início no ano de 2013, a partir de auditoria realizada pela APEGR, e prosseguiram na Polícia Federal, revelando fraudes que superam o montante de R$ 13 milhões.
Confira:

Comentários
0 Comentários