Cortes no orçamento ameaça funcionamento da UEPB e gera protesto com centenas de pessoas nas ruas de Patos.


Após a realização de uma assembleia para esclarecer os principais pontos da portaria do Reitor Rangel Júnior, que determina cortes profundos no orçamento destinado ao funcionamento da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), centenas de estudantes, professores e funcionários decidiram sair em protestos pelas ruas da cidade de Patos para denunciar o descaso.
O encontro aconteceu na quadra onde o diretor do Campus VII da UEPB, Adriano Homero, explicou ponto a ponto sobre as medidas de contenção orçamentária que podem fechar campus universitários, demitir professores, funcionários e fazer cortes em bolsas e investimentos destinados a pesquisa e extensão dos estudantes e dos próprios professores.
Protesto da UEPB/Patos

A Portaria/UEPB/GR/246/2017 determina cortes e contenção nos seguintes pontos: pagamento de horas extras; transporte para participação de estudantes em eventos acadêmicos ou técnico-científico; limita a concessão de passagens aéreas; restringe hospedagens; reduz em até 25% o número total de contratos de prestação de serviços terceirizados, exceto segurança; congela auxílio saúde e alimentação; congela valores das bolsas estudantis, dentre outras medidas.
O presidente da Associação dos Docentes da Universidade Estadual da Paraíba (ADUEPB), professor Nelson Júnior, fez duras críticas ao Governador Ricardo Coutinho (PSB) pelos cortes no orçamento destinados a UEPB. Nelson Júnior disse que o governador tenta inviabilizar a instituição de forma desrespeitosa e sem levar em conta os riscos que a medida imposta pode causar ao povo da Paraíba através da educação.
Professor Nelson Júnior (UEPB)
Prestando solidariedade a luta da comunidade da UEPB, o professor Cunha, da Universidade Federal de Campina Grande, representando a Associação dos Docentes de Ensino Superior (ANDES), comentou que a educação não está sendo prioridades do Governo Federal e nem do Governo Estadual. O professor alertou a sociedade para o grave risco que corre as instituições de ensino devido à falta de prioridade na educação dos governantes. A falta de posicionamento em defesa da universidade por parte dos deputados estaduais e federais também foi apontada como gesto de indiferença destes parlamentares a causa da educação pública e de qualidade.
A estudante do Curso de Administração na UEPB/Patos, Maria Helena, relatou que está no ato por apoiar a universidade porque enxerga o momento de descaso com a educação. Maria Helena disse que é um descaso com a universidade pública e que ela tem origem de escolas públicas e percebe o quanto as instituições estão sendo atacadas. “A gente fica muito triste com o descaso da educação aqui na Paraíba”, comentou.


Jozivan Antero – Patosonline.com

Comentários
0 Comentários