Professores substitutos devem retomar aulas na UEPB.

O reitor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), professor Rangel Junior, recebeu em audiência na manhã desta quarta-feira (21), no Gabinete da Reitoria, no Câmpus de Bodocongó, a Comissão Representativa dos professores substitutos da Instituição, que propôs o retorno imediato das atividades em sala de aula como forma de garantir o cumprimento do semestre letivo 2016/2. A reunião também contou com a presença do vice-reitor, professor Flávio Romero Guimarães; da pró-reitora de Gestão de Pessoas, professora Célia Regina Diniz; e do pró-reitor de Planejamento, professor Luciano Albino.
Durante o encontro, o grupo de professores entregou oficialmente ao reitor Rangel Junior um documento assinado por 128 professores substitutos manifestando o desejo de retornarem às salas de aula com a finalidade de assegurar o término do semestre interrompido com a greve da categoria. O documento, conforme enfatizou o professor Bruno Gaudêncio, membro da Comissão, foi redigido como resultado de uma assembleia dos substitutos realizada recentemente.
Segundo Bruno, a partir dessa assembleia a Comissão percorreu todos os câmpus da UEPB, recolhendo as assinaturas dos professores que pretendiam retornar às aulas. A proposta da comissão é que a Reitoria renove os contratos dos professores substitutos e posteriormente faça uma consulta aos departamentos para saber qual a demanda de cada setor e, assim, dentro das condições orçamentárias, efetivar um novo contrato até 31 de dezembro para garantir o período letivo 2017/1. “Com a entrega desse documento estamos legitimando a nossa proposta de negociar com a Reitoria a questão dos contratos dos substitutos”, destacou o professor Bruno Gaudêncio.
Como desdobramento da reunião com a Reitoria e da entrega do documento, os representantes da Comissão garantiram que a partir desta quinta-feira (22) os professores substitutos irão protocolar junto a Pró-Reitoria de Gestão de Pessoas (PROGEP) um requerimento, informando a decisão individual de retornar às salas de aula. Em seguida, eles também vão se reapresentar nos departamentos, colocando-se a disposição da Instituição. Caberá às chefias de departamentos fazer o comunicado oficial a Administração Central para que seja providenciado o contrato temporário para o término do semestre. A perspectiva dos professores é retornar as aulas a partir do dia 3 de julho.
No mesmo documento, os representantes dos substitutos solicitaram a instalação futura de uma Comissão Técnica para analisar os pleitos e demandas do conjunto de docentes substitutos. Após receber o documento, o reitor Rangel Junior refirmou a sua pretensão de resolver todo o impasse, mas tendo o cuidado de preservar o aspecto da legalidade, da institucionalidade da UEPB e, consequentemente, preservando em todos os sentidos e com transparência a lisura de todos os processos, para que a Instituição não seja prejudicada em nenhuma circunstância.
Ao fazer menção à greve dos professores, o reitor ressaltou que considera legítimo o movimento, visto que a categoria está sem reajuste há três anos. Porém, entende que a negociação deveria ocorrer atendendo ao pedido do governador para retorno às atividades.
Acompanhando e participando de toda a discussão, o vice-reitor Flávio Romero reafirmou que a Reitoria sempre esteve aberta ao diálogo com os professores, algo que, segundo ele, será muito importante para que todas essas questões sejam esclarecidas e que as decisões administrativas sejam de conhecimento dos interessados. Participaram da reunião como membros escolhidos da comissão dos substitutos, os professores Bruno Gaudêncio, Rafael de Brito Cândido Gomes, Alessandro Jordano, Lorena Bandeira, Yeman Omar Zapata Barbosa e Thiago Rodrigo Almeida.
Fonte Assessoria

Comentários
0 Comentários